<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d34117314\x26blogName\x3ddi%C3%A1rio+de+um+quiosque\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLUE\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://diariodeumquiosque.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://diariodeumquiosque.blogspot.com/\x26vt\x3d5113954605552121106', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>

diário de um quiosque

O Pacheco Pereira tornou-se uma espécie de Ardinario da política [caracteres extra para não me estragar o template do blog]

Outro capítulo...

segunda-feira, dezembro 17, 2007

posted by ardinario, 12/17/2007 07:21:00 da tarde | link | 3 ardinarices |

When will you come home?

terça-feira, dezembro 04, 2007

Sensivelmente 14 meses depois de nascer, o blog “Diário de um Quiosque” acaba aqui. A morte adivinhava-se. Faltava apenas a certidão de óbito. Ninguém gosta de morrer aos poucos, muito menos um blog tão novinho como este.

Falta de tempo, falta de tema e a eminente chegada do Ardinarinho contribuíram decisivamente para o encerramento. A senhora que por cá ontem passou, que por entre dois grunhidos quase imperceptíveis se queixava de se ter esquecido dos dentes de baixo, ainda me fizeram hesitar sobre esta decisão. Mas não há milagres, e eu tenho a perfeita consciência que não é todos os dias que alguém se esquece de sair à rua sem o acessório adequado para proferir correctamente “Quero o 24 Horas, por favor”.

Antes de encerrar oficialmente a coisa, permitam-me deixar algumas palavrinhas.
Em primeiro lugar sinto-me obrigado a agradecer a todos os que visitaram o blog. Sem vocês, isto não tinha aguentado nem mês e meio. Um agradecimento especial para os Tis Marroquinos, para o jornal Record, para o jornal Publico, para o Zé Luís, para os Atlânticos, para os clientes que “fizeram” este blog e para todos aqueles que sintam que merecem um lugar neste parágrafo mas que não cabem aqui por distracção ou esquecimento meu.
Em segundo lugar, quero salientar que escrever este blog me deu um gozo tremendo. Por muito ou pouco que tenham gostado do que aqui foi escrito, eu fui o maior fã. Foi um prazer imenso escrever cada uma das linhas.

Tal como de há ano e meio para cá, vou continuar a escrever (irregularmente), como sururu, no BnRB, o blog de futebol mais politicamente incorrecto da blogosfera.

Para terminar, não quero deixar passar em claro a pouca vergonha do comportamento da distribuidora Vasp, por aqui apropriadamente apelidada de Asco. São anos e anos a prejudicar os seus clientes, aqueles que permitem que suas excelências sobrevivam. São anos e anos com faltas nos jornais distribuídos, com volumes de publicações desviados, com valores devidos que nunca são creditados, com horas e horas de esperas ao telefone na tentativa frustrada de resolver problemas, e com eternas promessas de futuro bom funcionamento. (Neste momento, a sua grande preocupação é vender cartões telefónicos e procurar saber - legitimamente?... duvido - quantos exemplares vende o jornal Sol)
Tudo isto perante o assobiar para o ar, para o lado e para trás dos responsáveis pelas publicações distribuídas por esta empresa, que talvez ainda não tenham dado conta que a sua sobrevivência depende quase exclusivamente dos cerca de 7.000 postos de venda espalhados pelo país. Se têm coragem, investiguem! Pela minha parte, vou continuar a lutar contra estes abusos sistemáticos.

Quanto ao quiosque, continua de pé e de boa saúde, e não obstante o encerramento do blog, vamos fazer com que mantenha o nível de iniciativas que o tornem num quiosque diferente, para melhor.

Acabaram as visitas virtuais. Podem visitar o quiosque in loco, na Praça 8 de Maio, na Figueira da Foz. A todos, muito obrigado.

posted by ardinario, 12/04/2007 03:07:00 da tarde | link | 25 ardinarices |