<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d34117314\x26blogName\x3ddi%C3%A1rio+de+um+quiosque\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLUE\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://diariodeumquiosque.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://diariodeumquiosque.blogspot.com/\x26vt\x3d5113954605552121106', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>

diário de um quiosque

O Pacheco Pereira tornou-se uma espécie de Ardinario da política [caracteres extra para não me estragar o template do blog]

3450-363 = -363

quinta-feira, março 05, 2009

Fevereiro é aquele mês chatinho em que tenho que pagar o valor estipulado na carta que recebi em Janeiro. Trezentos e sessenta e três euros de taxa de ocupação do espaço público. Espaço público ocupado: seis metros quadrados. Sessenta euros por mês. Dez euros mensais por metro quadrado ocupado. Trinta e três cêntimos ao dia. Por metro quadrado. Ajustado à escala Rochemback, sessenta e seis cêntimos ao dia por dois metros quadrados ocupados. Não é caro. Mas não deixa de ser um abuso. Uma roubalheira, vá lá. Uma machadada nos cornos da situação financeira deste estabelecimento, pronto.

Imagine o leitor que vende chupetas ao Zé Vaca. Cem chupetas por semana. Quando vai para receber, o Zé Vaca diz-lhe que ai e tal não pode ser. A certa altura o Zé Vaca já deve 2400 chupetas. Ora acontece que o Zé Vaca lhe arrendou o seu armazém de chupetas, e chegada a altura não tem pejo em lhe sacar o respectivo pagamento. Não do ano que passou, mas do que está para vir. E que se falhares o pagamento no dia seguinte pagas o dobro.
Consome chupetas como o camandro, mas não deixa de ser um grande cabrão, este Zé Vaca.
posted by ardinario, 3/05/2009 12:13:00 da tarde

0 Comments:

Add a comment