<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d34117314\x26blogName\x3ddi%C3%A1rio+de+um+quiosque\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLUE\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://diariodeumquiosque.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://diariodeumquiosque.blogspot.com/\x26vt\x3d5113954605552121106', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>

diário de um quiosque

O Pacheco Pereira tornou-se uma espécie de Ardinario da política [caracteres extra para não me estragar o template do blog]

Um dia no quiosque - parte 1 ( 7.00 / 7:45 )

terça-feira, janeiro 23, 2007

Um dia no quiosque começa a ser planeado bem antes da sua abertura. Que é como quem diz, assim que este artista sente os primeiros pingos de água quente a escorrer pelas costas, começam a chover as primeiras questões pertinentes.

Inevitavelmente, a pergunta que se impõe fazer a alguém acabado de acordar é: “quem és tu e o que vais fazer hoje?”. É importantíssimo conseguir responder a esta questão o mais rapidamente possível, no máximo até ao início da primeira ensaboadela. Se não o conseguires fazer, prepara-te porque vais ter um dia muito difícil.

Passado este primeiro teste, que se supõe ser de rotina, é fundamental para um ardina saber que dia da semana é hoje. Um calendário, estrategicamente colocado ao fundo da banheira, torna-se essencial para responder a essa questão, evitando assim desgastar desnecessariamente alguns neurónios logo pela manhã. Confesso que não tenho o calendário, mas esta parte do texto fica aqui bem.

O teu estado de espírito, seja ele qual for naquele momento, pode-se alterar profundamente, conforme a resposta dada pelo calendário. Um sábado pode ser mau. Significa que dentro de 30 minutos vais estar a desamarrar pelo menos 15 volumes de papelada. Significa que 50 minutos depois vais estar concentrado nessa tarefa estimulante que é juntar vários suplementos num só, por uma determinada ordem, e colocá-los dentro de um saco, tudo isto repetido pelo menos 45 vezes. Se esse sábado calhar perto do dia 25, é sinal que vais ter menos clientes que o normal. E se chove e faz frio lá fora, escusas de embrulhar mais de 30... vocês sabem de que jornal estou a a falar...

O calendário pode perfeitamente responder-te “hoje é 3ª feira”. As 3ªs feiras são um tédio. Não há semanários de jeito, embora algumas vezes o Jornal do Sporting nos possa animar as manhãs. As boas revistas mensais nunca chegam à 3ª. Não há newsmagazines. Não há sobras para fazer. Os clientes escasseiam às 3ªs feiras, talvez porque já gastaram tudo no dia anterior. Passas a manhã a aviar TV 7 Dias. A nível desportivo, nada se passa, tirando talvez um espectacular Leiria-0 Paços de Ferreira-0 disputado na véspera, à noite, perante 743 espectadores, e sem casos de arbitragem. Às 10:30 já não tens nada para fazer.
É então que te lembras que este é o dia perfeito para terminar aquelas tarefas eternamente adiadas. Quando dás por ela, é uma da tarde. Além de não teres facturado nada de jeito, concluiste todas aquelas tarefas perfeitamente inúteis. O que significa que na próxima 3ª feira vais ter que inventar qualquer coisa para fazer.

(continua)
posted by ardinario, 1/23/2007 10:58:00 da tarde

0 Comments:

Add a comment