<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d34117314\x26blogName\x3ddi%C3%A1rio+de+um+quiosque\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLUE\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://diariodeumquiosque.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://diariodeumquiosque.blogspot.com/\x26vt\x3d5113954605552121106', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>

diário de um quiosque

O Pacheco Pereira tornou-se uma espécie de Ardinario da política [caracteres extra para não me estragar o template do blog]

A playboy dos benfiquistas

segunda-feira, maio 24, 2010

Radomel Falcao, o avançado que Pinto da Costa roubou ao Benfica - roubando-lhe assim o título de campeão nacional - diz hoje ao jornal Jogo que pretende marcar uma era no FC Porto. Diga-se que está a ser um sucesso. No currículo do colombiano já constam os items “Era campeão” e “Era o melhor marcador” e adivinha-se que desejaria ter também escrito algo como “Era preferível ter assinado pelo Benfica”.

Dois dias antes, o jornal A Bola marcava também uma nova era no jornalismo(?) em Portugal, ao lançar para as bancas Caixinhas de Relva do estádio da luz com 9 cm2 (CR9). Vou repetir: nas bancas de jornais deste país estão à venda pedaços de relva do estádio da luz a vinte e sete cêntimos o centímetro quadrado. “A relva dos campeões”, dizem eles na capa. “Sim, é aquilo que a menina Susete está a pensar...”, digo eu à menina Susete, quando confrontado com a interrogação “Isto é aquilo que eu estou a pensar?...”.

Tenho muita pena que uma das 4 CR9 que me calharam na rifa seja da zona do guarda-redes. De relva tem muito pouco e nota-se perfeitamente que o Quim andou ali a chafurdar em cima durante um ataque continuado do Benfica ou que o distribuidor foi pouco cuidadoso e lhe espetou com um volume de Novas Gente em cima. E tenho pena, porque uma CR9 da zona do guarda-redes não vende, pese embora a pouco experiência que eu possa ter na venda de relva de estádios ao público em geral. Da mesma forma que poucos estarão interessados numa CR9 da zona do guarda-redes, ninguém compra a camisola do Quim. Compram-se camisolas de quem marca golos e decide campeonatos, e não de quem passa a época a pisar relva, enquanto assiste comodamente aos golos na baliza contrária.

Não me querendo repetir, eu gostava de relembrar os mais desatentos que há relva do estádio da luz à venda em Portugal. Não me parece que estejam a alcançar a magnitude da questão. Vejamos. Os miúdos largam 3,95€ pela Playboy e anseiam pelo dia em que lhes saia na rifa a Miss Maio 2010 como professora de matemática. Os benfiquistas investem 2,50€ em relva do estádio do seu clube, colocam a peça em cima da lareira, e do recanto do sofá imaginam que foi naquele pedaço que a bola ressaltou no golo do Saviola ao Porto, enquanto os mais depravados não hesitarão em garantir ao amigo “Oh meu, táz a ver aquela CR9 em cima da glorioza lareira ? Foi práli co nosso Jazus atirou a pastilha no jogo do títalo!”. A CR9 é a playboy dos benfiquistas.

Publicado também aqui
posted by ardinario, 5/24/2010 12:29:00 da tarde

0 Comments:

Add a comment