<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d34117314\x26blogName\x3ddi%C3%A1rio+de+um+quiosque\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLUE\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://diariodeumquiosque.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://diariodeumquiosque.blogspot.com/\x26vt\x3d5113954605552121106', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>

diário de um quiosque

O Pacheco Pereira tornou-se uma espécie de Ardinario da política [caracteres extra para não me estragar o template do blog]

O futuro dos jornais

segunda-feira, setembro 18, 2006

O suplemento Dia D, do Publico de 6ª feira passada , traz um artigo interessantíssimo sobre o estado actual dos jornais portugueses e o seu futuro.

Image Hosted by ImageShack.us

A razão para o descréscimo das vendas deve-se a um conjunto de factores:

-Quebra da natalidade, o que implica a ausência de reposição de leitores, que são pessoas cada vez mais velhas;
-Internet;
-Aparecimento de jornais gratuitos;
-Mudança nos hábitos de leitura (há cada vez menos jovens a ler em papel).

O que faz com que...

Image Hosted by ImageShack.us

No mesmo suplemento, Gustavo Cardoso, presidente do Observatório da Comunicação (Obercom), empresta-nos algumas ideias:

[...a venda de produtos associados] é uma das soluções do modelo de negócio do jornal.

Se as universidades têm menos alunos, é natural que os jornais tenham menos leitores.

O jornal vai buscar dinheiro sobretudo à publicidade. A menor fatia é a do pagamento em banca. A publicidade só vale em função do número de pessoas a que se chega. Essa é a regra.

[Os jornais de referência deviam ponderar a hipótese de passarem as gratuitos?] A questão é saber se, sendo gratuito, haverá mais gente a ler e logo mais publicidade, compensando retirar o preço. O certo é que, quando se dá esse passo, não há retorno. [...] Todas as empresas estão a colocar o cenário em cima da mesa.

[Sobre o surgimento do Sol] Se só existe um semanário, então faz sentido haver outro. [...] O Expresso, além de ser um jornal, é também um modo de estar ao fim-de-semana. Mas tem sido o único...
posted by ardinario, 9/18/2006 04:11:00 da tarde

4 Comments:

Não tenho a mais pequena dúvida que se os jornais passassem a ser gratuitos,ganhariam uma infinidade de leitores.
Outra pecha é a falta de hábitos de leitura de jornais por parte dos mais novos. Estou convencido que se houvesse jornais disponíveis nas escolas, dali viriam montes de leitores fiéis para toda a vida.
commented by Anonymous Puxa-saco, 9/18/2006 5:33 da tarde  
"Não tenho a mais pequena dúvida que se os jornais passassem a ser gratuitos,ganhariam uma infinidade de leitores."

Acredito que sim, mas isso não me convém nada...

"Outra pecha é a falta de hábitos de leitura de jornais por parte dos mais novos. Estou convencido que se houvesse jornais disponíveis nas escolas, dali viriam montes de leitores fiéis para toda a vida."

Ora aí está uma óptima actividade para aquelas horas extra a que os miúdos são agora obrigados.
O blog está óptimo, e muito original. Parabéns!
Na primeira linha, porém, precisa de não se esquecer que traz de trazer não é o mesmo que trás de traseiro.
Saudações,
Ratmic
commented by Anonymous Anónimo, 9/19/2006 6:03 da manhã  
Obrigado.
Tem toda a razão. Já corrigi.

Add a comment