<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d34117314\x26blogName\x3ddi%C3%A1rio+de+um+quiosque\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLUE\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://diariodeumquiosque.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://diariodeumquiosque.blogspot.com/\x26vt\x3d5113954605552121106', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>

diário de um quiosque

O Pacheco Pereira tornou-se uma espécie de Ardinario da política [caracteres extra para não me estragar o template do blog]

Dia 25 - 96 anos depois

sexta-feira, outubro 06, 2006

Um feriado calha sempre bem. Para a "saúde" do quiosque já não se pode dizer o mesmo. Estando situado numa zona essencialmente comercial e de serviços, o movimento de pessoas é consideravelmente mais baixo. A caixa ressente-se e a casa lamenta.
Feriados? Obrigado, mas não.

Image Hosted by ImageShack.us

Estava combinado que seria eu a abrir (e fechar) o quiosque no feriado. No entanto, uma futebolada na 4ª feira à noite, na qual se registou uma espectacular e inesperada recuperação da minha equipa, de 4-8 para 9-8, obrigando a um esforço suplementar (que se veio a revelar infrutífero) para segurar a vantagem, levou a que as minha pernas suplicassem por descanso extra no dia seguinte. E assim foi. Liguei ao Olegário, e este, confirmando mais uma vez que se trata de um empregado com o qual todos os patrões sonham, prontificou-se a subsituir-me. Domingo é a minha vez.

Image Hosted by ImageShack.us

Entretanto, na 4ª feira passou por cá uma senhora para apresentar o projecto de renovação do quiosque. Suponho que a mando da Câmara Municipal, com vista à uniformização dos quiosques da cidade. Irá voltar um dia destes, pois na altura eu não estava presente.
Está criado assim um pau de dois bicos: agora que finalmente consegui que um jornal me financiasse os novos toldos (que exigem aprovação da CM), aparece a própria CM a querer alterar o quiosque. Vou aguardar por mais informações. Pode ser bom, mas também pode ser mau...

Para amanhã teremos 90 Expressos e 48 Sol. As reservas do Expresso já ultrapassam estes 48.

Em http://www.meiosepublicidade.pt, novos dados sobre a "guerra" dos semanários:

O semanário Expresso vai fazer chegar amanhã às bancas uma tiragem de 220 mil exemplares, montante que representa um acréscimo de 20 mil exemplares à tiragem com que o título da Impresa Jornais contou nas últimas três semanas.

[...]

Este aumento de tiragem decorre, assim, de “solicitações dos pontos de venda que, nalguns casos, estão esmagados pelos pedidos dos leitores”, confirmando-se deste modo a possibilidade avançada na semana passada ao M&P por Pedro Norton, de voltar a reforçar a tiragem do semanário caso a edição do último fim-de-semana voltasse a esgotar.

No que respeita ao Sol, até ao fecho desta edição o semanário ainda não tinha fechado os números relativos às vendas da última semana, não tendo, por isso, sido possível confirmar se o novo jornal de Saraiva irá manter este sábado a tiragem de 210 mil exemplares que apresentou a partir da sua segunda edição.

Entretanto, e de acordo com o administrador-delegado do jornal, José Marquitos, a estimativa inicial de vendas na ordem dos 180 mil exemplares na segunda edição do Sol não se terá confirmado. “Com os números que temos até ao momento, o mais provável é que as vendas se situem na ordem dos 150 mil exemplares”, explicou o responsável ao M&P no final da semana passada, quando confrontado com os números inicialmente avançados aos colaboradores do jornal numa nota interna. Até ao fecho desta edição, o M&P voltou a tentar contactar o administrador-delegado do Sol para confirmar estes valores mas não obteve resposta em tempo útil.

posted by ardinario, 10/06/2006 09:29:00 da tarde

6 Comments:

Não consigo decifrar as suas tabelas....o "V" suponho que seja de Vendas e o "L" ??
commented by Anonymous anonimo, 10/06/2006 11:23 da tarde  
2ªs feiras à noite, RTP2, série "The L Word". Pode ser que tenha lá a resposta.
commented by Anonymous Anónimo, 10/07/2006 3:54 da tarde  
Creio que o «L» é de «Lucros»... Por outro lado, a sugestão do 2.º anónimo parece melhor... ;)
commented by Anonymous Anónimo, 10/07/2006 9:24 da tarde  
ola ardinario!
ja reparou que o record, na sua ediçao de 8/10 faz referencia ao seu blog?
queria pedir-lhe um favor...vou em breve abrir um quiosque, nos arredores de lx..estou a fazer contacos com fornecedores( vasp, por exemplo), gostaria se fosse possivel que me desse contactos de fornecedores de todos os produtos que possam ser vendáveis neste genero de quiosques.
se nao fosse pedir muito tambem gostaria de saber as margens praticadas...nos jornais, revistas, tabaco...selos..etc
muito agradecido, desde ja, aguardo contacto via mail: pedro_mouro@sapo.pt
obrigado
commented by Anonymous Anónimo, 10/08/2006 7:47 da tarde  
"L" é de Lucros, e não de lésbicas :)

Ao último anónimo, obrigado. Não tinha visto.
Enviarei um mail brevemente.
Estou a pensar abrir um quiosque.
Gostaria que me confidenciasse se afinal tem lucro ou não é uma actividade muito lucrativa.
Obrigada e bons negocios
commented by Anonymous Carla Dias, 5/30/2011 4:50 da tarde  

Add a comment