<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d34117314\x26blogName\x3ddi%C3%A1rio+de+um+quiosque\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLUE\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://diariodeumquiosque.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://diariodeumquiosque.blogspot.com/\x26vt\x3d5113954605552121106', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>

diário de um quiosque

O Pacheco Pereira tornou-se uma espécie de Ardinario da política [caracteres extra para não me estragar o template do blog]

Dias 33 e 34 - O Nobel da Paz

domingo, outubro 15, 2006

A Academia atribuiu o Prémio Nobel da Paz a Muhammad Yunus.
O banco de Yunus, o Grameen, empresta dinheiro a pessoas completamente na miséria. Estas pessoas não têm garantias bancárias. Têm apenas o seu nome, a sua honra pessoal e moral. E parece que essa é uma garantia notável: o banco tem uma taxa de retorno notável: 98.5%.
Retirado daqui.

O quiosque do Ardinário tem a preocupação de reservar e guardar os fascículos das colecções que os seus clientes se comprometeram a adquirir. Estes clientes não têm nenhum contrato assinado com o quiosque. Têm apenas o seu nome e o seu contacto apontados numa folha de papel, e a sua honra pessoal e moral gravados na sua consciência. E parece que essa garantia não é suficiente: 20% dos fascículos reservados não são levantados pelos clientes que os reservaram.

Este tipo de situação não é fácil de gerir. Parto do princípio que todos os clientes são honestos, até prova irrefutável em contrário. Se me diziam "venho buscar os fascículos na próxima semana", restava-me acreditar na palavra e, mesmo ultrapassado o prazo de devolução, decidia guardar a colecção. O medo de perder o cliente, no caso de optar por devolver o produto dentro do prazo, levava-me a guardá-lo e esperar que a pessoa viesse buscá-lo. Foi um erro. Os clientes, mesmo depois de garantirem que viriam levantar os fascículos, acabavam por não mais aparecer, nem dar qualquer justificação para a desistência. Estes fascículos são caros, e o prejuízo foi grande.
Passámos então a pedir o contacto telefónico dos coleccionadores. Mesmo assim não foi solução: alguns números falsos impediam o contacto.
Chegou-se ao extremo em que um cliente (empregado de uma loja vizinha), após sucessivas promessas de levantamento da colecção, chegou à brilhante conclusão que há muito tempo nos tinha comunicado a decisão de desistir da colecção. No mínimo, lamentável.
Como não tenho esperanças em ser nomeado Nobel da Paz, a solução para este problema passa agora pela devolução das publicações na data limite. Sem excepções.

A caixa de Sábado foi excelente, quase chegando aos 1.000€. A de 6ª feira foi normal:

Image Hosted by ImageShack.us

A surpresa ficou reservada para a manhã de Sábado quando, ao contrário dos 35 exemplares do Sol que tinha pedido, verifico que apenas me tinham chegado... 5!!! Uma enorme falha da Chupista, a culminar uma semana em que a Asco confirmou a sua incompetência: ao contrário dos 9 exemplares do Courrier Internacional da guia de remessa de 6ª feira, apenas me chegaram 5, insuficientes para as reservas desta publicação semanal. Entre outras, como a inexplicável redução na quota de Records que me fez perder algumas vendas e a habitual falta de 2 exemplares do Jogo.
Quanto ao Sol, fui obrigado a ir comprar 20 à concorrência. Com o acordo entre alguns quiosques, "compramos" uns aos outros com 10% de desconto, para colmatar estas falhas.

Resultado de Sábado: Expresso-71 Sol-21, contra os 81-28 da semana passada.

Saldo:

Image Hosted by ImageShack.us

O fluxo de Sábado deu um gráfico interessante:

Image Hosted by ImageShack.us

- Super pico entre as 11 e as 12 horas, naquela que é de longe a hora mais movimentada da semana.
- Super pique a partir das 13, hora a que fecha o comércio.

Entretanto, prepara-se com uma ténue esperança de sucesso a candidatura a mediador dos Jogos da Santa Casa, cujo prazo termina a 31 de Outubro de 2006. As probabilidades de me tornar mediador devem rondar os 5%...
posted by ardinario, 10/15/2006 04:49:00 da tarde

3 Comments:

Nesta fase do "campeonato", já podemos concluir que o "Sol" não tem "plantel" para o "Expresso". No entanto, se tivermos em conta o apelo do DVD (bem patente nas respostas à sondagem deste blog), podemos concluir que, ou o semanário de Pinto Balsemão arranja "reforços" à altura, ou está longe de ter a liderança consolidada.
Boa sorte com a "Santa Casa".
ola ardinário!
cá continuo nos meus contactos para abrir um quiosque, entre eles, falta-me os passes de autocarro. alguma dica sobre isso? a soctt urb diz-lhe alguma coisa?
mais uma vez agradeço as informaçoes
commented by Anonymous Anónimo, 10/16/2006 10:33 da tarde  
Mialgia, também me está a dar essa ideia, mas isto ainda agora começou. No DN de hoje, José António Lima garante que o Sol vai apanhar o Expresso mais depressa do que previa. A ver vamos...

ps - foi uma falha minha, esquecer-me do Castigo Maximo nos favoritos. Já está corrigido. Não há melhor blog de futebol.

Anónimo, não consigo ajudá-lo com os passes de autocarro...

Add a comment